domingo, 5 de outubro de 2008

Classifique as campanhas e as falácias de seus candidatos


Nesse período de campanha eleitoral o eleitor deve usar o bom senso para avaliar as propostas de seu candidato.

A Capivara Paulistana infelizmente não vota, mas entende que os votos dos paulistanos afetam diretamente suas rotinas.

Quando Carolus Linnaeus classificou os seres vivos para que possamos estudá-los de forma criteriosa, deu margem para que outros homens classificassem a pobre capivara como um animal “Rodentia” da família “Hydrochaeridae” e ainda deram-lhe o terrível nome de “Hydrochoerus hydrochaeris”.

A capivara resolveu também classificar as falácias dos nossos candidatos (Uma falácia é um argumento logicamente inconsistente, inválido, ou falho na capacidade de provar eficazmente o que alega) para ajudá-lo a tomar suas decisões. Ai vai:

Argumentum ad antiquitatem (Argumento de antiguidade ou tradição):
Afirmar que algo é verdadeiro ou bom porque é antigo ou "sempre foi assim".

Ex: "Se o meu avô diz que o melhor para São Paulo é ter alguém corrupto, mas que faz, então deve ser verdade”.

Argumentum ad hominem (Ataque ao argumentador):
Em vez de o argumentador provar a falsidade do enunciado, ele ataca a pessoa que fez o enunciado.

Ex: "Se foi um empresário quem disse isso, certamente é um engodo".

Argumentum ad ignorantiam (Argumento da Ignorância):
Ocorre quando algo é considerado verdadeiro simplesmente porque não foi provado que é falso (ou provar que algo é falso por não haver provas de que seja verdade). Note que é diferente do princípio científico de se considerar falso até que seja provado que é verdadeiro.

Ex: "Este cara deve ser honesto, pois nunca provaram o contrario"

Non sequitur (Não segue):
Tipo de falácia na qual a conclusão não se sustenta nas premissas. Há uma violação da coerência textual.

Ex: "Que nome bacana tem este candidato. Deve ser um bom administrador!”

Argumentum ad Baculum (Apelo à Força):
Utilização de algum tipo de privilégio, força, poder ou ameaça para impor a conclusão.

Ex: "Aceitem minhas propostas, senão sofrerão a minha ira."

"Acredite no que eu digo; não se esqueça de quem é que paga o seu salário";

Argumentum ad populum (Apelo ao Povo):
É a tentativa de ganhar a causa por apelar a uma grande quantidade de pessoas.

Ex: "A maioria das pessoas acredita em mim, portanto sou bom."

"Inúmeras pessoas vão votar nele; portanto, ele tem a melhor proposta."

Argumentum ad Verecundiam (Apelo à autoridade):
Argumentação baseada no apelo a alguma autoridade reconhecida para comprovar a premissa.

Ex: "Se o Presidente da Republica disse isto, então é verdade."

Dicto Simpliciter' (Regra geral):
Ocorre quando uma regra geral é aplicada a um caso particular onde a regra não deveria ser aplicada.

Ex: "Se você roubou de alguém, deve ir para a cadeia”.(não se aplica a certos casos de pessoas que roubam de ricos para dar aos pobres);

Generalização Apressada (Falsa indução):
É o oposto do Dicto Simpliciter. Ocorre quando uma regra específica é atribuída ao caso genérico.

Ex: "O meu candidato traiu minha confiança. Logo, os candidatos tendem à traição"


Falácia de Composição (Tomar o todo pela parte):
É o fato de concluir que uma propriedade das partes deve ser aplicada ao todo.

Ex: "Todas as peças deste viaduto são leves; logo, a construção deste viaduto é barata."

Falácia da Divisão (Tomar a parte pelo todo):
Oposto da falácia de composição. Assume que uma propriedade do todo é aplicada a cada parte.

Ex: 1) “O filho deste candidato deve ser rico, pois estuda em um colégio de ricos”

2) "A ONU afirmou que o Brasil é um país com muita violência e injustiça; logo, a ONU chamou-nos a todos nós brasileiros de violentos e injustos".

Falácia do homem de palha:
Consiste em criar idéias reprováveis ou fracas, atribuindo-as à posição oposta.

Ex: "Meu adversário, por ser de um partido de esquerda, é a favor do comunismo radical, e quer retirar todas as suas posses, além de ocupar as suas casas com pessoas que você não conhece."

Cum hoc ergo propter hoc : (falsa causa)
Afirma que apenas porque dois eventos ocorreram juntos eles estão relacionados.

Ex: "O candidato X vai ganhar as eleições hoje porque hoje é quinta-feira e até agora ele ganhou em todas as quintas-feiras que teve eleições"

Post hoc ergo propter hoc :
Consiste em dizer que, pelo simples fato de um evento ter ocorrido logo após o outro, eles têm uma relação de causa e efeito.

Ex: "O Candidato corrupto X deixou o cargo depois do atentado com bombas à sede de seu partido. Portanto, a justiça foi alcançada devido à utilização de bombas"

Petitio Principii :
Ocorre quando as premissas são tão questionáveis quanto a conclusão alcançada.

Ex: "Sócrates tentou corromper a juventude da Grécia, logo foi justo condená-lo à morte."

Circulus in Demonstrando :
Ocorre quando alguém assume como premissa a conclusão a que se quer chegar.

Ex: "Sabemos que o candidato X diz a verdade, pois muitas pessoas dizem isso. E sabemos que o candidato X diz a verdade, pois nós o conhecemos."

domingo, 6 de julho de 2008

Capivara declara Guerra aos Sacos Plásticos



Não existe nada pior para uma Capivara Paulistana do que ser ridicularizada pelos seus amigos ao sair da água com um saco plástico pendurado em seus pelos.

Foi pensando nisso que o Blog Capivara Paulistana resolveu decretar Guerra aos Sacos de Plástico convencionais.

De acordo com o site da RES Brasil até este exato momento 257.426.845.966 (hora e data da publicação desta matéria) de sacos plásticos foram consumidos. No site http://www.resbrasil.com.br/ existe um contador que dá o numero aproximado de sacos utilizados e não para de crescer.

Estes sacos são compostos poliméricos de petróleo que levam em media mil anos para se reintegrarem a natureza e matam anualmente mais de um milhão de criaturas marinhas a cada ano, formam possas de água que propiciam a reprodução de insetos como o Aedes Aegipty (transmissor do vírus da Dengue) , a impermeabilização e esterilidade do solo alem de causarem o péssimo aspecto visual nos lixões da cidade.

Estes plásticos podem ser reciclados pelo homem desde que sejam separados de acordo com sua classificação Unicode (The Unicode Standard) http://www.unicode.org/ .

1 PETE or PET Polyethylene terephthalate (Poietileno Terefitalato) – fibras de poliéster, garrafas de refrigerantes;

2 HDPE High density polyethylene (Polietileno de alta densidade) – sacos de doces, freios automotivos, brinquedos rígidos;

3 PVC or V Polyvinyl chloride (Poli Cloreto de Vinila) tubos e conexões;

4 LDPE Low density polyethylene (Polietileno de baixa densidade) baldes de lixo, equipamentos de laboratório;

5 PP Polypropylene (Poli Propileno) Fibras industriais, peças de ônibus, embalagens para alimentos;

6 PS Polystyrene (Poli Estireno) bandejas de fast foods, brinquedos;

7 Outros plasticos – incluem acrylonitrile, butadiene, estireno acrilico, Poicarbonato, nylon e fiberglass.

Mas melhor do que fazer esforço para reciclar é contar com a natureza para fazer este trabalho.

A própria RES tem algumas soluções bastante interessantes para este problema tais como os sacos feitos com polímeros hidrossolúveis (PVA – PVOH);

A mais de cem anos conhecemos o PLA Polylactic acid (Ácido Poli Láctico) que pode ser obtido do milho ou da cana de açúcar e após o uso pode ser digerido por insetos ou bactérias;

A Fivebras desenvolveu uma alternativa muito legal, a sacola feita com o exclusivo Ecotess® http://www.fivebras.com.br/default.asp?id=reciclaveis . Um tecido 100% reciclado e reciclável de PET.

Ao invés de levar de 10 a 20 sacos de plástico chochos cada vez que você volta do supermercado, correndo o risco de estourar e deixar cair sua caixa de ovos, você leva belas sacolas extremamente rígidas e extremamente legais ao supermercado seguindo exemplos de paises da Europa como Espanha e Reino Unido.

Quando sua sacola fica velha você pode trocar por novas sacolas com novas estampas, e a velha é reciclada novamente.

Muitas vezes olhamos para o rio Pinheiros ou o Tiete e vemos aquele monte de sacos plásticos e afirmamos para nos mesmos “como esse povo é porco”. Nos esquecemos que aquele saco flutuando pode ser o saco que jogamos fora junto com outros lixos e colocamos na rua a espera do lixeiro, mas não teve chance de chegar ao seu destino final.

Você provavelmente levou três minutos minuto para ler esta matéria e ver as ilustrações, durante sua leitura 2.571.429 sacos plásticos foram jogados no lixo, a cada segundo que esperamos para tomar a decisão de não usarmos mais os sacos plásticos convencionais aumentamos consideravelmente este mal.

sexta-feira, 7 de março de 2008

Em 2011 a Capivara Paulistana poderá dividir o Rio Pinheiros com os seus amigos peixes


Os técnicos da Secretaria de Saneamento e Meio Ambiente de São Paulo e da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), prometem até o fim deste ano bloquear cerca de 60% de todo esgoto que vem sendo despejado no rio Pinheiros e afirmam ainda que lá por 2011os peixes devem voltar a nadar por lá.

São 26 quilômetros de interceptores de esgoto construídos ao longo das margens dos Rios Pinheiros e Tietê nos últimos quatro anos, 2 metros cúbicos dos 8 m³ de dejetos despejados por segundo no Pinheiros passaram a receber tratamento.

Este ano, 10 quilômetros de interceptores serão construídos e devem bloquear mais 3 m³ de esgoto por segundo.

Mas a peça fundamental para trazer a vida de volta ao rio Pinheiros é o sistema de flotação capaz de acelerar a limpeza do rio. A idéia é fazer três estações de flotação - na altura do Cebolão, na Usina de Traição e na Usina Pedreira - com capacidade para limpar um volume de água superior a 40 m³ por segundo. O método exige que o curso do Pinheiros seja invertido, o que significa que o rio passará a desaguar na Represa Billings, em vez de seguir rumo ao Tietê. Com isso, existe a preocupação de que o principal reservatório de água da capital fique ainda mais poluído.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Parabéns São Paulo




Capivara felicita a Vila de São Paulo de Piratininga fundada pelos jesuítas à liderança de Manuel da Nóbrega por seus 454 anos.


segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Capivara que não conseguiu ingressos para o São Paulo Fashion Week convence grife a desfilar no Rio Tietê

O Marcelo e eu somos grandes amigos!
.
.
.
A estréia do estilista Marcelo Sommer na direção criativa da grife Cavalera conquistou lugar de destaque nesta edição da São Paulo Fashion Week.

A grife levou os modelos e a imprensa para as margens do rio Tietê, na zona norte da cidade onde desfilou a coleção do inverno-2008.

O desfile foi ao mesmo tempo um protesto contra a poluição do rio, onde são despejados diariamente três bilhões de litros de esgoto, sem falar na poluição industrial.

A imprensa se instalou num barco à beira do rio, enquanto os modelos se apresentavam na margem, debaixo de uma chuva rala, pisoteando a lama que se formava no local. Ao fundo, uma das pontes cinzentas que cruzam o Tietê e celeiros industriais que mais pareciam usinas nucleares.

Um apito de alarme de guerra deu início ao desfile, os modelos desceram por uma escada de ferro gigante rumo à margem, e a apresentação transcorreu sem música, tendo como fundo sonoro apenas o barulho dos carros e caminhões que cruzavam a Marginal Tietê.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Capivara promete resolver o problema dos Outdoors da Marginal Pinheiros


Gilberto Kassab recebeu esta Manhã uma proposta para atender as reivindicações dos anunciantes-sem-outdoors da cidade de São Paulo.

Segundo a ANBA São Paulo ultrapassou o Rio de Janeiro em volume de vistias turísticas

Em 2006, São Paulo ultrapassou o Rio de Janeiro em número de eventos internacionais, segundo os números da Associação Internacional de Congressos e Convenções (ICCA). A capital paulista ficou em 18º lugar, com 54 eventos internacionais, na frente do Rio de Janeiro, tradicionalmente a cidade de melhor colocação entre as brasileiras, que ficou em 26°, com 48 eventos.

“Fora daqui! Esta floresta já tem dono”
“Tudo bem, nos só estamos aqui por turismo”

Capivara Deusa do Rio Pinheiros

CAPIVARA PARADE - "Os rios de nossas cidades não são latrinas, deveriam ser espaços de convivência e beleza, como em qualquer outra cidade civilizada do mundo" Luiz Pagano

Já reparou que não temos bulevares ao lado da maioria dos rios brasileiros!
Já reparou que não temos barcos restaurantes em nossos rios e lagoas!
Quando aparece uma capivara em nossos rios pensamos "esse animal deve estar louco de nadar nessas aguas imundas"… mas o que eles estão fazendo faz parte da natureza deles a milhares de anos, nós é que começamos a poluir essas aguas nos últimos 300 ~ 70 anos;

Adotei as capivaras como mascote do paulistano, do mesmo modo que a deusa egípcia Tauret aparecia às margens do Nilo e trazia bênçãos às mulheres grávidas a Capivara aparece na cidade de São Paulo como um amuleto de prosperidade para a cidade e nos faz repensar na ecologia as margens deste rio poluído, e nos da a esperança de ter uma capital prospera e ao mesmo tempo em equilíbrio com a natureza.

A capivara já faz parte da rotina do paulistano, seja quando e avistada pelos passageiros da Linha "C" da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, ou quando sai das margens para a pista da Marginal Pinheiros, como quem quer chamar a atenção e dizer “vocês precisam cuidar mais do verde desta cidade, se não o fizerem, eu pessoalmente sairei das minhas margens para complicar o já caótico transito da minha cidade”.

Segundo funcionários do Projeto Pomar que administra a revitalização das margens do Rio pinheiros não é só a capivara que decidiu voltar para a capital “Com a remoção do lixo e o corte do mato, as equipes de trabalho acabaram fazendo várias descobertas. A mais importante é que a vida resiste a toda degradação do rio e das marginais.

Capivaras, gaviões, quero-quero, garças africanas, cobras, ratões do banhado e até um jacaré sobrevivem ao longo do Pinheiros, aumentando as esperanças de salvação do rio, futuramente”.

Comemore o 454to aniversário da cidade cultuando a capivara como deusa das águas do rio Pinheiros. Vamos adotá-la como símbolo da nossa cidade.